Menu - Páginas

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

10 Orientações para uma vida livre de glúten

Hoje vou escrever sobre como podemos viver melhor com uma dieta livre de glúten.


A cada dia me surpreendo com o grande número de pessoas que passam a saber de sua intolerância e alergia ao glúten. Esse número tem crescido devido a maior eficácia dos recursos de diagnóstico e também pelo aumento das informações na mídia e no meio acadêmico sobre o assunto.

Tomar conhecimento do diagnóstico de intolerãncia ao glúten traz uma revolução em nossaa vida pessoal e mesmo familiar. 
Muitas são as mudanças e decisões que devem ser adotadas num novo estilo de vida. Quais são as minhas dicas para viver melhor uma vida livre de glúten?

1- Conheça, pesquise, oriente-se, entenda e compartilhe informações sobre a doença celíaca.
São muitas informações para assimilar quando você acaba de receber o diagnóstico, além disso novas informações chegam aos meios de comunicação a cada dia.
Procure grupos de apoio  e associações como a ACELBRA,  grupos de apoio nas redes sociais, conheça blogs e sites do assunto e troque suas experiências.
Você não está sozinho.

2- Repense sua atitude e percepção em relação à doença celíaca.
Compreenda que é o glúten que o torna doente.
Ser celíaco é uma condição de vida.
Se você está bem clinicamente, segue sua dieta e tem boa saúde, você não está doente.
Fique atento aos possíveis sintomas que pode ter e siga rigorosamente sua dieta, esta é a coisa mais importante para garantir sua saúde.
Faça tudo para ter uma vida saúdável, sem contaminações, evitando comer tudo aquilo que pode lhe fazer mal e lhe trazer doenças.

3. Oriente seus familiares e amigos.
Surpreendentemente, há um grande desconhecimento sobre o assunto. 
Precisamos orientar nossos familiares, amigos, colegas de trabalho, pessoas que convivemos e até mesmo os profissionais mais diversos que nos atendem.
Tenha paciência em explicar e repetir muitas vezes a mesma coisa. Não desanime.
Ilustração do artista americano Norman Rockwel

4- Mude sua atitude com a cozinha.
Procure novas receitas, invente, experimente novos ingredientes.
Faça nascer o mestre-cuca, o cozinheiro e o padeiro que vivem em você. 
Não tenha medo de errar! ( eu já fiz muitas receitas que tive de jogar fora!).
Faça o possível para ter uma cozinha livre de contaminação.
Conheça o que é contaminação cruzada.

5- Foque seu cardápio e escolhas alimentares naquilo que pode comer.
Sim, é muito triste não podem comer nunca mias um paozinho francês, um pão de ló, tomar um chop...
Mas há uma infinita variação de alimentos para serem explorados!
Experimente fazer suas receitas preferidas com outros tipos de grãos e farinhas isentas de glúten. 
Lembre-se da grande variedade de frutas e legumes que temos disponíveis durante todo ano em nosso país.

6. Conheça os aspectos nutricionais dos alimentos e siga uma alimentação bem variada.
Se possível, vá a uma nutricionista para buscar uma orientação alimentar.
Pessoas com doença celíaca geralmente têm carências nutricionais e precisam de uma especial atenção em sua alimentação.

7. Tenha um médico de referência para acompanhá-lo, de preferência um especialista. Faça exames periódicos. Procure investigar se há possibilidade de outros casos de celíacos em sua família (lembre-se que a doeça celíaca pode ter muitas diferentes formas de manifestação).

8- Procure fazer suas refeições sempre junto das pessoas com quem convive
Não deixe de se socializar. Não se isole, nem deixe de sair para encontrar as pessoas porque é difícil comer fora de casa ou organizar uma refeição sem glúten.

Ilustração do artista americano Norman Rockwel
9- Saia de casa sempre com um "kit de emergência"
Leve sempre com você, na bolsa, mochila ou no carro algum alimento para uma situação em que não encontre nada adequado ou seguro de contaminação para comer.
Barrinhas de cereal, frutas, suco, frutas secas, queijo, nozes são um bom recurso para socorrer-nos quando estamos fora de casa em uma situação de risco. 
Quando não tiver nada para comer, se isto acontecer, recorra a um suco de frutas para evitar cair em tentação e comer algo que possa lhe fazer mal.

10. Ressignifique sua vida.
Eu sei.... tudo mudou e nunca mais vamos poder desfrutar de alimentos que gostávamos. Crianças diagnosticadas pequenas têm de crescer aprendendo que não poderão comer muitos alimentos que jamais experimentarão. 
É muito chato e triste que a condição de restrição do glúten será para toda a vida ( ao menos enquanto a ciência não evolui trazendo novos tratamentos).
Mais chato ainda o fato de que muitos celiacos ainda têm outras intolerâncias ou alergias alimentares associadas.
Por isso: reveja seus valores, mude suas prioridades na vida, repense seus hábitos sociais, converse mais, vá mais ao cinema, desfrute de pequenos prazeres e concentre-se em pensar nos benefícios que uma dieta livre de glúten trará para sua vida.

Um abraço!

2 comentários:

  1. TEXTO SIMPLESMENTE MARAVILHOSO E PERFEITO...PARABÉNS!!!

    ResponderExcluir

Comente aqui: